terça-feira, 9 de setembro de 2014

O CÉU QUE NOS ESPERA


O céu visto da Terra é um lugar tentador e aparentemente muito calmo. Mas, lá cima a realidade é outra p espaço é muito inóspito para a vida.
Ainda no começo deste novo milênio, os humanos estaremos prontos para empreender uma nova aventura. Talvez impulsados por nosso inigualável espirito explorador, em breve nos lançaremos à conquista do “ céu”, começando por nossas vizinhanças no sistema solar e logo rumo ás estrelas mais próximas. Mas, qual é o céu que espera por nos? Será parecido com o conceito mitológico de paraíso? Será um lugar propicio para nos hospedar?

  O espaço é o lugar mais inóspito que podemos imaginar para os seres humanos, mesmo a uns poucos quilômetros cima da superfície da Terra as chances de sobrevivência são muitas pequenas só para tomar como exemplo as mudanças de Temperatura podem varias de -150º a 100º. Os astronautas fora da estação espacial conseguem sobreviver graças a um sistema complexo de vestimentas, equipamentos e sistemas ambientais projetados para manter uma pessoa viva e confortável, as diferenças de temperatura é compensada bombeando ar frio ou quente dentro da vestimenta do astronauta, mas sem este aparelho a chance se sobreviver no espaço é nula.


Um traje espacial é um sistema complexo de vestimentas, equipamentos e sistemas ambientais projetados para manter uma pessoa viva e confortável no difícil ambiente do espaço exterior.
Quando nos aventuremos além da orbitada da Terra ou da Lua, à medida que as viagens espaciais durarem mais, aumenta significativamente as dificuldades para a sobrevivência. Outro dos maiores problemas das viagens espaciais é a exposição à radiação provenientes do sol  e outras estrelas. Sem uma atmosfera para nos proteger seremos constantemente bombardeados por partículas provenientes do sole outras estrelas os quais podem afetar a composição genética e desenvolver câncer nos humanos ou como mostra um estudo de 1990, por cientistas da IBM os quais estimaram que raios cósmicos induzem a um erro minúsculo na memoria de computadores
A tripulação da Estação Espacial Internacional tem que passar varias horas por dia fazendo exercícios  físicos para diminuir a perda de cálcio nos ossos e a massa muscular.
            Ainda que logremos passar os desafios técnicos de nos proteger dessas partículas seja usando blindagens eletromagnéticas ou de outra espécie, um dos maiores desafios que o “céu” tem para nos é como sobreviver em gravidade zero. Nestas condições mais de 2 litros de liquido corporal se trasladam das pernas à cabeça o qual faz aos astronautas se sentir como se tivessem um resfriado permanente. A gravidade zero também faz com que os astronautas percam massa muscular e óssea como foi mostrado    pelo Dr. Nicole Buckley, diretor da Life and Physical Sciences at the Canadian Space Agency (CSA), que os astronautas, em expedição, chegam a perder 2% da massa óssea por mês, mais do que os pacientes com osteoporose.

A  Estação Espacial Internacional encontra-se em órbita em torno da Terra a uma altitude de   aproximadamente 360 km. cuja finalidade é descobrir novas técnicas e médios para a vida no espaço.
 Esses são só alguns dos desafios que temos que superar para nos tornar senhores do espaço, uma vez alcançado os médios técnicos para as longas viagens espaciais, certamente teremos outros retos a enfrentar, pois alguns planetas não têm atmosfera e os que têm pelo menos no sistema solar são inadequados para a respiração humana. Este é o céu que espera por nos ali em cima, longe de ser um lugar calmo para vida. Mas, certamente isto não impedira de que num futuro próximo os humanos estejam com suas naves viajando de um estremo a outro pelo menos no começo dentro de nosso próprio sistema solar.

Nenhum comentário:

Postar um comentário